[Resenha] Mago: Aprendiz - Raymond E. Feist



Na fronteira do Reino das Ilhas existe uma vila tranquila chamada Crydee. É lá que vive Pug, um órfão franzino que sonha ser um guerreiro destemido ao serviço do rei. Mas a vida dá voltas e Pug acaba se tornando aprendiz do misterioso mago Kulgan. Nesse dia, o destino de dois mundos altera-se para sempre. Com sua coragem, Pug conquista um lugar na corte e no coração de uma princesa, mas subitamente a paz do reino é desfeita por misteriosos inimigos que devastam cidade após cidade. Ele, então, é arrastado para o conflito e, sem saber, inicia uma odisseia pelo desconhecido: terá de dominar os poderes inimagináveis de uma nova e estranha forma de magia… ou morrer. Mago é uma aventura sem igual, uma viagem por reinos distantes e ilhas misteriosas, onde conhecemos culturas exóticas, aprendemos a amar e descobrimos o verdadeiro valor da amizade. E, no fim, tudo será decidido na derradeira batalha entre as forças da Ordem e do Caos.

Resenha

Primeiramente, somos apresentados a Pug, um menino órfão que vive na tranquila vila de Crydee, Pug é um menino com muitos sonhos e desejos, ele tem o sonho de um dia servir o rei nas guerras e se tornar um grande guerreiro, mas ele nem desconfia das surpresas que o destino lhe reserva.

Certo dia, Pug sai para pegar frutos do mar, e decide cochilar na praia, algum tempo depois ele é acordado pela tempestade feroz e no caminho de volta para casa, o menino é atacado por um porco da floresta, e é salvo por Meecham, que atira uma flecha contra o animal, salvando a vida de Pug. Meecham ajuda Pug e o leva para uma cabana no meio de floresta, chegando lá Pug reconhece o dono da cabana, o Mago Kulgan que é considerado um mestre da magia no reino. Rapidamente Pug e Kulgan tornam-se amigos e depois de comer e descansar, Pug parte de volta para a vila. 

Todo ano no Solstício de Verão (que marcava o final de um ano e o começo de outro) era um dia especial para alguns jovens, pois todos os anos no Solstício de Verão vários jovens passam da fase da adolescência e se tornam adultos, e neste dia, o dia da Escolha, cada jovem é designado para exercer uma tarefa no reino junto com o seu mestre. Porém pode acontecer do jovem não ser escolhido por nenhum mestre, se assim for, este jovem é livre para deixar a vila e buscar um oficio em outro povoado ou cidade, ou então trabalhar nos barcos de pesca da vila. Antes da Escolha, é perguntado se algum jovem deseja não participar da Escolha, e se algum jovem tiver algum argumento plausível, o mesmo é liberado para sua função de desejo. Pug não disse nada, até porque ele não tinha nada em mente para fazer, se não fosse escolhido por nenhum mestre, não saberia o que fazer. Pug sabe que tem chances de não ser escolhido por nenhum mestre, pois ele ainda era franzino e pequeno e era um órfão, mas ele ainda tinha esperanças de ser um guerreiro.

Começa-se a Escolha, e um a um os jovens são escolhidos por seus respectivos mestres, no final, acontece o que Pug mais temia neste dia, ele fica sozinho, pois não é escolhido por nenhum dos mestres, o jovem se sente muito triste por ser rejeitado, quando o jovem iria ser dispensado, o Mago Kulgan entra no meio e pede para ser o mestre do garoto. Pug sempre se imaginou lutando nas guerras com armas e nunca aprendendo magia para se tornar um Mago, mas como ele mesmo diz, um oficio qualquer que seja é melhor do que nenhum. Então, para surpresa de todos, Pug aceita o convite, ele se tornará o aprendiz do Mago, e esta decisão, mudará sua vida para sempre. 

Depois de vários meses vivendo no reino, estudando magia e sendo aprendiz do Mago, Pug é designado para acompanhar a princesa do reino em suas cavalgadas diárias, a princesa sempre gostava de cavalgar e não tendo ninguém para acompanha-lá, o Mago sugeriu seu aprendiz para o papel, e Pug sempre foi muito apaixonado pela bela princesa, e então vê naquela oportunidade uma chance de conhecer melhor a linda princesa. 
Certo dia no meio de uma das cavalgadas da princesa, Pug leva os animais para beberem água do riacho quando eles param para fazer um lanche, e de repente ele ouve um grito apavorado da princesa,  Pug corre para ver o que estava acontecendo e se depara com dois trolls, que corriam atrás da menina, com o intuito de devora-la. Então Pug distrai os trolls, o que não é uma boa ideia, pois os trolls correm atrás de Pug e por pouco não o pegam, mas surpreendentemente, Pug lança um feitiço novo sobre eles, e sem saber como fez isso, consegue matar os dois trolls e salvar a vida da princesa. 

Retornando ao palácio, Pug é premiado pelo seu ato de bravura sendo condecorado a corte do reino, passando de um simples aprendiz a um aprendiz da corte, Pug também é premiado com terras e prêmios por seu ato de bravura. E durante todo esse ocorrido, a princesa se apega ao jovem, e o mesmo acontece com ele, que sempre foi apaixonado pela princesa. 

Pug possui um grande amigo na vila, Tomas sempre foi seu companheiro, os dois são como irmãos e sempre compartilham as brincadeiras e aventuras pelo reino. Certa noite, Tomas vai até Pug e o chama para ver uma coisa impressionante que acabou de acontecer na costa da vila, um navio estrangeiro que naufragou e foi levado pelas ondas até a costa da vila, Pug e Tomas correm para ver o ocorrido antes que os guardas do reino tomem providências. Chegando lá, eles avistam o navio quase afundando e sacudindo entre as rochas, então os dois amigos decidem entrar dentro do navio para ver se acham alguma coisa de interessante, mas a única coisa que o navio possui em seu interior são corpos de tripulantes mortos e alguns artefatos diferentes. Ao sair do navio, os garotos percebem que um dos tripulantes ainda estava vivo e consegue sair do navio. Assustados, os dois garotos reparam no homem diferente diante deles, o homem veste uma roupa diferente e fala uma língua totalmente desconhecida pelos garotos, rapidamente, os guardas do reino chegam e prendem o homem, pois não conhecendo o sujeito, ele poderia ser uma ameaça para as pessoas. Pois o mesmo era agressivo e falava uma língua estranha e vestia roupas diferentes, o que assustou todos do reino.

Aventurando-se mais perto do navio, os garotos encontravam pequenos objetos espalhados ao seu redor, atirados entre as rochas pelas ondas.

Em todo o convés, os destroços criavam um espetáculo confuso para os olhos.


Depois de um estudo das peças que os garotos acharam no navio, é concluído que aquele navio era diferente e que nunca foi visto nada igual aquelas peças e igual aquele homem, o que assusta cada vez mais as pessoas do reino. Sem respostas, o Mago decide fazer uma ligação mental com o tripulante antes que o mesmo morra, e ele descobre uma ameaça extremamente perigosa para todos. Aquele homem fazia parte de um povo chamado Tsurani, uma raça de fortes guerreiros que dominavam uma grande magia e uma super tecnologia, e eles estavam prestes a atacar o reino, e o mais chocante de tudo é que o Mago descobre que aquela raça de guerreiros não são do mesmo planeta que eles, os Tsurani são de outra dimensão, outro planeta, e esta descoberta assusta todo o reino. Uma grande ameaça estava a caminho, os reinos nunca mais teriam paz, a guerra estava chegando, e junto com ela a morte, o terror e o caos definitivo.

- É sábio saber o que se almeja e ainda mais sábio saber quando se alcança.

- Há amores que chegam como a brisa do mar, enquanto outros crescem devagar  das sementes da amizade e da bondade. 
Eu nunca tinha lido nenhum livro do Raymond E. Feist e fiquei muito interessado, pois ultimamente eu tenho lido vários livros de fantasia épica e guerras, e ao contrário do que eu imaginava, os livros de fantasia épica são tão bons, quanto os romances kk, especialmente este livro, que me prendeu durante todas as páginas, a descoberta de um ataque por parte deste novo povo de outro planeta espanta todos do reino, que ficam com muito medo de seu novo inimigo. E não é para menos, os Tsurani são inimigos ferozes e sádicos por guerra, além de possuírem uma magia e uma tecnologia incomparável com os reinos remotos. 

Durante toda a história, passam-se guerras, lutas e muita ação, o livro inteiro possui muita ação, o que te deixa vibrado durante a leitura. Um livro que fala sobre guerreiros e como a guerra pode afetar as pessoas de uma forma tão impressionante. Mago Aprendiz veio para encantar os leitores de fantasia e ficção, uma história totalmente inovadora, com seres de outro mundo e muita guerra e ação. O livro não ficou como meu favorito, mas quase chegou lá, eu adorei descobrir e viajar neste novo mundo criado por Raymond E. Feist, um mundo cheio de elfos, guerreiros, magos, reis e príncipes, uma história de honra e determinação.
O autor é extremamente peculiar com sua escrita, ele consegue criar novos mundos com vários palácios e reis e rainhas, e a complexidade dos personagens é perfeita. O autor consegue expressar o sentimento e o humor de todos os personagens de uma forma muito peculiar, a história é muito rica e complexa, é como se fosse uma árvore central que coordenasse a floresta amazônica inteira, a conexão dos personagens com os fatos da história é perfeita e concreta, o autor possui uma sincronização perfeita para narrar uma história de guerras, com vários personagens, territórios e reinos. Com certeza uma obra prima da fantasia épica.


Juntamente com o livro eu recebi um mapa com todos os reinos e territórios, o que ajudou bastante, pois durante as guerras e as viagens dos personagens pelos reinos, o autor sempre cita os nomes dos territórios e com o mapa você vai acompanhando a trajetória da história, o que eu gostei bastante e achei muito legal.


Raymond E. Feist


Raymond E. Feist, é um dos nomes mais importantes de todos os tempos no que diz respeito à literatura fantástica. Nasceu no Sul da Califórnia e vive em San Diego. Estudou na Universidade de San Diego, onde se licenciou com honras, em Ciencias da Comunicação em 1977. Tendo sido traduzido em mais de 23 países, O Mago é a sua primeira obra-prima e a base para toda a sua vasta obra, que atinge constantemente as listas de bestsellers do New York Times e Times of London. Quando não está a escrever, Raymond é um coleccionador de DVDs, estudioso da história do futebol, fã de ilustração e um grande apreciador de bons vinhos.








Top Comentarista - Novembro/Dezembro



Comente nesta postagem, preencha o formulário e concorra ao livro Olho por Olho.


18 comentários:

  1. Olá, nunca li nada do Raymond, mas confesso que fiquei muito curiosa por conta da resenha. Adoro histórias de guerras, conquistas, elfos, príncipes, reis e muita ação. Gostei bastante da forma como o Gustavo descreve os momentos que o empolgaram. Parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Confesso que não li nada do Raymond, mas espero ler em breve pois temos a coleção do Mago na Biblioteca. Muito bom post. Parabéns. Continue.
    Se quiser passe pelo meu blog comunidadefantastica.blogspot.pt

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Tenho lido muitas resenhas positivas sobre o livro e apesar de achar a premissa interessante não é meu gênero favorito. Acho que não leria no momento, mas vou anotar aqui para o futuro. Ótima resenha e ficaram lindas as fotos.

    Abraço

    http://poesiasprosasealgomais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi Gustavo,

    Não li muitos livros de fantasias, mas todos os que eu leio eu sempre gosto, antes li uma resenha desse e n]ao me interessei, depois que eu li sobre esse novo povo, eu fiquei como que eu tenho que ler esse livro, não sei se é por curiosidade ou outra coisa, mas eu quero ler!

    Mayla
    http://meulivromeutudo.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Ai esse mapa lindo *O* eu sou louca pra ler esse livro. Vi uma resenha em um dos vlogs que acompanho nada favorável a ele, e acabei desanimando. Mas depois da sua resenha eu fiquei animada pra ler de novo!

    Beijos
    http://escolhasliterarias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Gustavo! Concordo completamente, livros assim são tão bom quanto romances. Eu fico entre os dois, as vezes to numa vibe romantica, outra mas épica, mágica e por ai vai ♥
    adorei sua resenha! Eu to doida pra ler! achei que o preço ia baixar no black friday mas dancei, vou esperar uma melhor, to pobre agora. Adorei essa mapa! Uma pena que eles enrolam tantos anos pra trazer esses livros pra lá, são velhos! os dois proximos só ano q vem, fala sério!
    Bjus bjus!
    Pan
    http://pansmind.blogspot.com/2013/11/sorteio-de-natal-amazonia-arquivo-das.html

    ResponderExcluir
  7. Não li nada do autor ainda, mas amo livros de fantasia. Gostei da história e vou acompanhar a série por resenhas, até o lançamento do último livro.

    ResponderExcluir
  8. Ahhhhhhhhhhhhh que capa é essa?
    Amei, muito!
    Quero muito esse livro!

    ResponderExcluir
  9. Que espetáculo de resenha, Gustavo! Amei e fiquei muito interessada em ler este livro, não conhecia o autor até você me apresentar a ele através da sua resenha.
    Sabe dizer se este livro terá continuidade?

    Abs
    Tânia Bueno
    http://facesdaleiturataniabueno.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oi Tania Bueno, sim, é uma série, amanhã estarei divulgando o segundo volume aqui no blog :)

    ResponderExcluir
  11. Oi Gu!
    Não conhecia esse Autor e nem o Livro, mas fico feliz de ser apresentada aqui a ele! Adorei sua resenha, super bem construida e caprichada! Adoro histórias em que os autores criam mundos ''novos'', achei super atraente!
    Beijos
    Ps: Resenha bem especial no meu blog! Passa lá e comenta que retribuo a visita!
    http://overdoselite.blogspot.com.br/2013/07/resenha-cidade-das-almas-perdidas-de.html

    ResponderExcluir
  12. Oi!

    Já li muitas resenhas positivas desse volume, mas não é o meu gênero favorito.

    Bj!
    http://meuhobbyliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi Gustavo

    Sua resenha foi incrível. Não conhecia o livro mas pretendo ler o mais breve possível. Gosto muito de literatura épica fantástica.
    Não costumo julgar livros pela capa, mas essa é muito bonita e realmente chama a atenção!

    Super bjos
    http://www.i-likemovies.com/

    ResponderExcluir
  14. Oi Gustavo.
    Eu to com esse livro na estante desde que foi lançado, e até já comecei a ler.
    Gostei dos personagens, da fantasia, mas acho que não era o momento pra ler esse gênero porque a leitura não fluiu e encostei o livro.
    Num momento mais propício eu retorno a leitura.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  15. Eu adoro fantasias épicas e só ouço bons comentários sobre este livro.
    Adorei também o fato de ter mapas, que eu gosto mundo, pois sempre que se é falado sobre vários lugares diferentes, eu fico perdida!
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Sinto na vontade roubar esse teu livro para mim., hahahah <3

    ResponderExcluir
  17. Oi Gustavo, tudo bem?
    Não conheço o autor, mas li vários comentários bastante positivos sobre esse livro recentemente. Gosto bastante de fantasias épicas, então acho que esse livro seria uma boa leitura para mim. Fantasias épicas são muito interessantes, pois permitem que o autor 'crie seu universo' mais do que outros gêneros literários. Já li algumas fantasias épicas que, infelizmente, vão se perdendo ao longo das páginas, e acabam por não me prender, mas não acho que seja o caso desse livro.
    Você disse que o livro tem muita ação, e para mim isso é um ponto positivo, porque nos deixa mais ligados na leitura, e a narrativa sobre a guerra também me atrai bastante. Concluindo: adicionei à minha wishlist, e pretendo ler em 2014 : )
    Beijos e boas leituras!

    ResponderExcluir
  18. Nunca li nada do Raymond, mas essa saga realmente me deixou interessada. Adoro a capa, ela é meio 'misteriosa' rs e o gênero desse livro é um dos meus favoritos

    ResponderExcluir

Obrigado pela visita! Não deixe de Comentar :)

 renata massa